Tag Archives: Fotografia

Lago dos sonhos…

Já começo o dia acelerada, mais um sábado com muitas fotos para fazer!
Estou completamente apaixonada por fotografia de casamento!

Seguem algumas fotinhas do lindo casal Rodney e Priscila (19/11)… adorei o lago e a árvore! *-*

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Fotografia

Casamentosssss…

Quando comecei a pensar em viver de fotografia, logo broxei com a ideia de fotografar casamentos para sobreviver. Era tudo muito clichê, tradicional, opaco, sem vida e dinamismo…que coisa mais chata!

Mas foi ai que eu me enganei!
Estudando a respeito, descobri que os profissionais da área passaram a usar do fotojornalismo, e as demais técnicas cinematográficas, para produzir trabalhos que hoje podem ser considerados verdadeiras obras de arte.E a partir dai vocês ja podem imaginar no que deu né???

Cada dia mais fascinada pela área, a adrenalina, o desafio de fazer boas imagens e não perder nenhum momento, ser parte da festa, realizar sonhos, conhecer todo o pessoal que rala junto para um momento tão importante acontecer…é simplesmente SENSACIONAL!

Há pouco mais de um mês, passei a fazer freelas para a empresa Digital Midia Studio, e estou completamente apaixonada por essa galera que me acolheu tão bem!Cada dia mais confiam em mim e apostam no meu potencial, disponibilizando bons equipamentos, e tendo toda a paciência em ensinar e formar novos profissionais!

A vida social vai sofrer um pouco, mas o sacrificio vale a pena!
Agora é a oportunidade de aprender, corrigir falhas e me aperfeiçoar.

Deixe um comentário

Filed under Fotografia

Redescobrindo-se

Ela não era uma menina tão comum quando criança, ao invés de brincar de bonecas, queria papéis e lápis de colorir….Além de sonhar em ser secretária. Na adolescência passava os fins de semana jogando bola no meio de vááááários garotos, e como não podia deixar de ser, veio a vontade de ser professora de educação física. Mas os desenhos ainda eram parte dos momentos de descanso e distração, logo após o banho ao anoitecer.

Ensino médio. Os conflitos em casa despertaram o desejo de entender o ser humano. Expressava suas dores e novas descobertas em folhas brancas e rabiscos tortos, borradas de lágrimas. A psicologia era a opção para graduação, pois afinal, pagar a faculdade de artes não era algo que cabia no orçamento da família, e menos ainda no seu.

Abandonou os rabiscos. Perca de tempo. E não há tempo a perder. Felizmente descobriu que não havia nascido para ser psicóloga, e a imagem (arte) mais uma vez falou mais forte em seus ouvidos, o coração palpitou, a respiração ficou ofegante… E por acidente descobriu o jornalismo. É isso mesmo, ACIDENTE. Não nasceu jornalista. Ninguém nasce jornalista. A prática ensina.

O emprego de arquivista era suficiente para as mensalidades, e com a Graça Dele, conseguiu a bolsa do governo vermelho ao qual tanto abominava (por influência da família). Perfeito. A filha do marceneiro e da dona de casa agora teria um diploma. O pai não gostou da escolha. Ele queria que ela fosse administradora ou contadora. A filha o ignorou. Quer ganhar pouco, mas ter o prazer de fazer o que gosta para o resto da vida.

O copo de vidro, cheio de lápis com cores vibrantes, esta no canto da mesa empoeirada. Nenhum deles ainda fora apontado. Comprados na esperança de um dia serem usados. Comprados para saciar um desejo de criança. O desejo de ter aquilo que seus pais não puderam lhe dar. Desejo saciado, e construtores de sonhos abandonados. Ser artista plástico era coisa de louco ou rico. Rica nunca fora. Louca? Não queria que a família descobrisse suas insanidades.

No terceiro ano ela decidiu arriscar. Ainda no jornalismo. Trocou o certo pelo incerto e resolveu revolucionar. Saiu do emprego que lha ajudara, mas que nada tinha a ver com o que havia escolhido para si. Sustentabilidade, Publicidade e agora Realidade. Conheceu novos caminhos. Aprendeu com algumas lições. E agora quer ousar. Futuro ainda incerto, mas a arte voltou a fazer parte de seus planos. Paixão pela fotografia, mas sempre fora uma forma de externar seu fiasco como artista. Pintar com a luz, por ser covarde demais em pitar com a alma manchada de tinta e grafite. Ela ignorou seu dom. Mas ele não deixou de existir lá dentro. E agora desperta. Quer crescer. Quer evoluir. Quer aprender. Quer mostrar para que veio.

2 comentários

Filed under Eu

Retratos de Jundiaí – edição 2012

Art&Manhas

Acho que vou concorrer com essa! =D

Bom, acho que eu nunca falei aqui no blog daquilo que mais amo?!
Então vamos lá…

O post de hoje é sobre um concurso de fotografia que vem rolando em Jundiaí.
Já imaginou sua foto em 300 exemplares de calendários a serem distribuidos na cidade em 2012????

Organizado pela Soapha (Associação Amigos da Preservação do PAtrimônio), a proposta do concurso é mostrar a cidade por diversos ângulos, valorizando cada canto,  e segundo a entrevista dada para o jornal Bom Dia, Anna Luiza Fagundes, membro do Soapha, “não adianta ser uma imagem qualquer, ela tem que ter representatividade na cidade”, então chegou a hora de soltar a criatividade e  começar a notar o quanto Jundiaí é rica em história e beleza!

As incrições estarão abertas até o próximo dia 08 de agosto,  e das 12 escolhidas, o 1º lugar vai estampar a capa do calendário 2012. Cada candidato pode concorrer com 3 fotos (somente na horizontal). As  fotos selecionadas também  farão parte de uma exposição a ser realizada no Gabinete de Leitura Rui Barbosa em agosto. Quem quiser saber detalhes do regulamento,  deve se dirigir até a Foto Imagem que fica na rua 11 de junho, 142, centro.

2 comentários

Filed under Cotidiano, Cultura, Fotografia

Eu e a Moda…(no SENAC Jundiaí)

"Estar na moda é ter um estilo próprio!"

Foi com essa ideia que Juliana Moretti, Tatiana Putti e Márcio Banfi conquistaram mais uma fã de moda.


Com meu preconceito ridículo (coisa de gente mal informada), sempre fui uma garota que desprezou  tendências, ou a moda em geral. Mas a vida da voltas e voltas, e quando vemos estamos apaixonados por quem não gostamos, ou por coisas que tanto odiávamos.

Confesso que o interesse é mais profissional do que o pessoal, pelo menos por enquanto, mas já estou fascinada em saber que existem histórias tão incríveis por trás de cada peça do nosso vestuário. Preocupada com as outras pessoas que pensam como eu pensava, que acha moda coisa de Barbie e gente fútil…decidi ter a ousadia de escrever sobre o mundo fashion, e a partir de hoje este blog tem uma nova categorai…——MODA, ATITUDE E CONTEÚDO.

Quem me conhece deve estar pensando…”O QUE? MAS COMO? SERÁ QUE ESTOU LENDO ISSO? OU SERÁ QUE ESTOU MÍOPE? A CÍNTIA escrevendo sobre MODA??????” Mesmo sendo uma garota desprovida de vaidade e estilo, vou compartilhar meu aprendizado e indicar quem realmente entende do assunto!

Vamos começar com algumas fotos do evento de ontem?

SENAC FASHION DAY

DSC_0003DSC_0038DSC_0049DSC_0106DSC_0112DSC_0183DSC_0205DSC_0236DSC_0243DSC_0254

 

Deixe um comentário

Filed under Cotidiano, Cultura, Eu, Fotografia, Moda, Atitude e Conteúdo

Água na OCA – Ibirapuera

EU RECOMENDO!!!

Veja mais fotos…

Água na Oca
De 26 de novembro de 2010 a 8 de maio de 2011
Pavilhão Lucas Nogueira Garcez – Oca
Av. Pedro Álvares Cabral, S/N – Portão 03, Parque Ibirapuera, São Paulo

Para mais informações entre em contato pelo telefone: 03007890002

INGRESSOS
Inteira: R$ 20,00
Estudantes e professores com comprovantes: R$ 10,00 (meia-entrada)
Menores de 7 e maiores de 60 anos com documento não pagam
Aposentados e portadores de deficiência pagam meia-entrada.
No último domingo de cada mês a entrada é gratuita para todos os visitantes

RECOMENDAçÕES AO VISITANTE
– Permitido tocar apenas em obras interativas
– Permitido fotografar apenas sem o uso de flash
– Não é permitido transitar pela exposição com alimentos e bebidas
– Não é permitido entrar com mochilas e volumes
– Visitas guiadas são permitidas apenas com monitores da exposição

2 comentários

Filed under Meio Ambiente

AusÊncia

Por muito tempo achei que ausência é falta

E lastimava, ignorante, a falta..

Hoje não a lastimo.

Não há falta na ausência.

Ausência é um estar em mim.

E sinto-a tão pegada, aconchegada nos meus braços

Que rio e danço e invento exclamações alegres.

Porque a ausência, esta ausência assimilada,

Ninguém a rouba mais de mim.

(Carlos Drummond de Andrade)

Deixe um comentário

Filed under Sem categoria