“Mulher Poesia”


Academia Feminina de Letras e Artes completa 40 anos de aspirações e inspirações

“Se eu não escrever, não respiro”, eis o oxigênio dos poetas e literatos. Eis a energia que abastece as meninas da Academia Feminina de Letras e Arte de Jundiaí (AFLAJ), que há 40 anos respiram e inspiram arte. E é assim que Valquíria Gesqui Malagoli, presidente da Academia pelo segundo mandato, resumiu seu prazer pela escrita, como uma das principais necessidades de sua existência. Não muito diferente da maioria dos escritores, Valquíria cultiva desde criança o prazer por expressar em palavras, papéis e rimas, todo sentimento que guarda dentro de si. “Nascida em Jundiaí, hei de morrer, porém, sem ser de ninguém, nem ser só daqui”, ela não é só daqui, proseia com o leitor e o leva a conhecer o mundo versando livremente em “OciosoCio”.

Mas não é só ela, com “Ousadia”, Júnia Bittencourt declama sua poesia “conheço o corpo, alma poeta, conheço a mulher, jamais o poeta, conheço o poema, jamais a poesia, o poeta-mulher, habitado em mim, não me conhece”. Uma das quatro recém–admitidas na AFLAJ, Junia escreve desde os 11 anos por influência do tio Décio Bittencourt, poeta e escritor e o irmão Elliot Bittencourt, um incentivador à boa leitura. Mas as palavras não lhe bastam, em 2002 entrou para o mundo das artes plásticas e começou a pintar suas Membiras (filho e filha em Tupi-guarani), 86 lindas cobras que extasiaram até o artistas plástico Jô Lazar “Extasiei-me com as Membiras. O vigor e a vibração que emanavam de suas telas encheram-me de uma estranha sensação de prazer.”

Como diz Valquíria, “são quarenta corações, mentes e corpos” que representam diversos segmentos artísticos e comemoram em 2012 quatro décadas de AFLAJ. Dentre os festejos já iniciados no ano passado, esta noite (20), às 19h30, na Sala Glória Rocha, acontecerá à cerimônia de entrega do Troféu AFLAJ 2012, e homenagem a todas as ex-presidentes. Na modalidade “Destaque da Cidade”, o troféu vai para a Escola de Música de Jundiaí, e o “Destaque Acadêmico” é a escritora e poetisa, Júlia Fernandes Heimann, autora de sete livros, professora de literatura e membro das Academias de Letras de Jundiaí, de Louveira e do Rio de Janeiro. Além disso, Júlia também é Presidente da Comissão Municipal de Literatura de Jundiaí e Membro do Conselho Municipal de Cultura. Na cerimônia, também ocorrerá a posse das novas acadêmicas, recém-admitidas: Nádia Rodrigues Chagas Alves (escritora), Suely de Queiroz (musicista), Júnia Bittencourt (escritora e artista plástica) e Cecília Celandroni (artista plástica). A parte artística ficará por conta do Coral Municipal de Jundiaí, sob regência de Cláudia de Queiroz, e o monólogo do ator Mário Rebouças. A entrada é franca.

A AFLAJ quer ir além, hoje estas mulheres buscam um compromisso com a sociedade, desenvolvendo oficinas, palestras e projetos para os jundiaienses. As reuniões da Academia são abertas ao público, e acontecem todo 3º sábado do mês, ás 9h30, no Museu Solar do Barão, lá é possível conhecer estes 40 talentos e ainda assistir alguma apresentação programada para a data. Quem quiser saber mais sobre a AFLAJ é só acessar http://www.aflaj.com.br, e detalhes sobre as artistas citadas podem ser encontrado nos sites http://www.juniabittencourt.kit.net e http://www.valquiriamalagoli.com.br.

Obs.: Matéria feita para o caderno Sirva-se, do JC, em 20.04.2012

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Sirva-se (JC)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s